Renegociação de dividas e créditos

renegociação de dívidas

A renegociação enegociação de dividas e créditos

Quando o incumprimento é pontual e reversível, no curto ou médio prazo, as iniciativas de renegociação, deverão iniciar-se de forma a equilibrar o pagamento da divida com as suas possibilidades.  

Baixe as suas prestações até 70%. A renegociação pressupõe um acordo com 1 ou mais credores com o objectivo de reduzir as suas prestações mensais de uma forma temporária ou permanente.

  • Carencia de capital
  • Alargamento do prazo
  • Redução dos juros
  • Acordos particulares

 

Quando as suas prestações começam a sufocar o seu orçamento mensal é bom pensar em uma renegociação de dividas e créditos. Desta forma consegue-se evitar ter prestações em atraso.

Deverá ser feita uma analise da situação financeira familiar do consumidor e do seu orçamento familiar.

No caso de possuir um crédito ao consumo que a taxa de juro do crédito for substancialmente superior à média do mercado, poderá fazer sentido consultar o seu banco sobre uma potencial descida da mesma.

Apresente uma carta ao seu banco expondo todos os motivos porque necessita de renegociar os créditos e demonstre como irá conseguir cumprir com as suas responsabilidades. Apresente um mapa do seu orçamento mensal identificando as despesas e os rendimentos bem como os créditos que possui como forma ajudar no processo de renegociação de dividas e créditos.

Uma taxa de esforço na ordem dos 35% nas despesas fixas obrigatórias é o recomendável e qualquer valor acima deste intervalo revela potencial futuro de incumprimento.